A Era de Aquário

A Era de Aquário pela Astronomia (o céu real)

Paulo Araújo Duarte. Professor de Astronomia do Departamento de Geociências da Universidade Federal de Santa Catarina.   Maio/1999

 

Entende-se por Era uma série de anos civis que decorrem desde um acontecimento importante que é tomado como ponto de referência. Como exemplos temos a Era Cristã, Era Cenozóica, Era Bizantina, Era dos Gregos, além de muitas outras. No caso da Astronomia, quando falamos em Era Equinocial ou Zodiacal queremos dizer o período em que o Ponto Vernal(*) passa por uma constelação ou por um signo do zodíaco. No momento, o Ponto Vernal está situado tanto no signo como na constelação de Peixes, razão pela qual dizemos que estamos na Era de Peixes. Mas paira no ar uma certa dúvida com relação ao início da próxima Era, a de Aquário, pois alguns místicos afirmam que irá começar na entrada do novo milênio, ou seja, em 2001. E o pior é quando dizem que será no ano 2000, como se o novo milênio tivesse início neste ano. Por outro lado, há também aqueles que afirmam com precisão o início da Era de Aquário em 4 de fevereiro de 1962, além de outras datas. Cada qual tem suas razões, porém sem nenhuma sustentação científica razoável. Mas para a Astronomia uma Era é determinada, conforme já dissemos, pela passagem do Ponto Vernal ao longo da região ocupada por um signo ou uma constelação zodiacal, em razão de um deslocamento do eixo da Terra que se faz na proporção de mais ou menos um grau a cada 70 anos, no sentido retrógrado (leste para oeste). E se considerarmos que as constelações têm tamanhos diferentes e ocupam, por conseqüência, espaços variados na esfera celeste, e que os signos, por sua vez, ocupam espaços regulares de 30 graus, podemos deduzir que o tempo que o Ponto Vernal demora nos signos é sempre o mesmo em todos eles, o que não ocorre com as constelações, especialmente agora que a União Astronômica Internacional conseguiu definir com precisão os limites das constelações. Assim sendo, a Era de Aquário, conforme podemos ver na tabela a seguir, só irá começar no ano 2150 (se considerarmos a passagem do Ponto Vernal pelo signo de Aquário) ou então em 2620 (se considerarmos a passagem do Ponto Vernal pela constelação de Aquário).

TABELA REFERENTE AO INÍCIO DAS ERAS

TABELA REFERENTE AO INÍCIO DAS ERAS
SIGNO EM QUE ESTÁ O PONTO VERNAL INÍCIO DA ERA CONSTELAÇÃO EM QUE ESTÁ O PONTO VERNAL INÍCIO DA ERA
Carneiro 2150 a.C. Carneiro 1820 a.C.
Peixes 0 Peixes 55 a.C.
Aquário 2150 Aquário 2620
Capricórnio 4300 Capricórnio 4330
Sagitário 6450 Sagitário 6320
Ofiúco(**) Não existe este signo Ofiúco 8730
Escorpião 8600 Escorpião 10050
Libra 10750 Libra 10530
Virgem 12900 Virgem 12180
Leão 15050 Leão 15330
Câncer 17200 Câncer 17900
Gêmeos 19350 Gêmeos 19340
Touro 21500 Touro 21330

Tabela adaptada do Dicionário Enciclopédico de Astronomia e Astronáutica, Ronaldo R. de F. Mourão, editora Nova Fronteira, 2. edição, 1995.

(*)  Ponto da esfera celeste que é definido pelo cruzamento de três linhas: Equador Celeste, Meridiano Zero e Eclíptica, cruzado pelo Sol na sua passagem equinocial do hemisfério sul para o norte e que marca o início da primavera para este hemisfério. Também chamado de Ponto Gama.
(**) Constelação zodiacal criada pela União Astronômica Internacional a partir de 1927. O Sol atravessa esta constelação de 28 de novembro a 17 de dezembro.

Equinócio de Outono –

Fonte: Irineu Gomes Varella * / http://www.uranometrianova.pro.br/

O equinócio de outono para o hemisfério sul da Terra ( de primavera para o hemisfério norte ) ocorre quando da passagem do Sol pelo ponto Vernal (  ) ou ponto Gama. A data e o horário da passagem variam ligeiramente de ano para ano. O calendário gregoriano, utilizado em quase todos os países, está organizado de maneira a manter, aproximadamente nas mesmas datas, as ocorrências dos equinócios e solstícios. O equinócio de outono (primavera) geralmente acontece nos dias 19, 20 ou 21 de março.
Em 1991, pelo Tempo Legal do Distrito Federal (TDF), tivemos a última ocorrência do início do outono em 21 de março. Durante todo o século XXI, o início do outono irá se alternar entre os dias 20 e 19 de março. Em 2028 teremos a primeira ocorrência em 19 de março. O início do outono retornará ao dia 21 de março somente no ano 2103! Veja as datas e horários de início do outono até o ano 2010, clicando aqui.
Fig. 1 – O Equinócio de Outono: passagem do Sol pelo ponto Vernal.

Quando o Sol, em seu movimento aparente anual no céu, passa pelo ponto Vernal, ele cruza o Equador Celeste dirigindo-se do hemisfério celeste sul para o hemisfério celeste norte. Nessa ocasião ele se encontra localizado na constelação de Pisces (os Peixes). Veja mais sobre o movimento aparente do Sol pela Eclíptica e sua passagem pelas 13 constelações zodiacais.
Devido ao movimento de precessão dos equinócios, o ponto Vernal desloca-se lentamente pela Eclíptica, com a velocidade angular de 50,25″ por ano, em sentido retrógrado, isto é, em sentido contrário ao movimento aparente anual do Sol. Para completar uma volta, pela Eclíptica, o ponto Vernal emprega 25.790 anos.

 

É muito comum encontrarmos a citação que estamos “entrando na Era de Aquário” – uma alusão à mudança de posição do ponto Vernal da constelação de Pisces para a de Aquarius. A afirmação não é correta. O ponto Vernal adentrará na constelação de Aquarius somente no ano 2597 e em Capricornus no ano 4312 !
A Terra e o Sol no dia do Equinócio

Quando ocorre um equinócio, a linha que une o centro da Terra ao centro do Sol, cruza o equador terrestre, ou seja, o Sol fica a pino ( no zênite, em termos astronômicos ) nos locais situados no equador ( latitude 0º ). A cidade de Macapá-AP, situada no equador, tem o Sol a pino nesse dia. Em outras palavras, no instante de um equinócio, o segmento de reta que une o centro da Terra ao centro do Sol é perpendicular ao eixo de rotação da Terra.

Fig. 2 – O Equinócio de Outono: a linha que une o centro da Terra ao centro do Sol, cruza o equador terrestre.
O Movimento Diurno do Sol no dia do Equinócio
No dia de equinócio o Sol nasce no ponto cardeal leste e seu ocaso se dá no ponto cardeal oeste. O dia tem a duração de 12 horas e a noite também (*). As figuras abaixo ilustram a trajetória diurna do Sol para a latitude de 0º ( equador terrestre ) e para as localidades situadas ao sul do equador, no dia de equinócio.
Fig. 3 – Trajetória diurna do Sol no Equador
Fig. 4 – Trajetória diurna do Sol em uma latitude  

Nos locais de latitude , o plano da trajetória diurna do Sol forma um ângulo de 90º – , com o plano do horizonte. Assim, em São Paulo (  = 23º 32′ S ) o plano da trajetória diurna do Sol formará um ângulo de 90º – 23º 32′ = 66º 28′ com o plano do horizonte. Em Porto Alegre (  = 30º 02′ S ), o ângulo será de 59º 58′.
Na passagem meridiana, o Sol atinge a máxima altura sobre o horizonte. No locais situados no equador, ele passa pelo zênite ( altura igual a 90º ). Nos locais situados ao sul do equador e com latitude , a máxima altura do Sol será h = 90º –  e o Sol passará ao norte do zênite.
(*) Não estão sendo considerados os efeitos da refração, da equação do tempo e, também, do movimento do Sol em ascensão reta e em declinação durante o intervalo de tempo entre a ocorrência do equinócio e o instante do nascer e do ocaso.
O Movimento Diurno do Sol nos pólos no dia do Equinócio de Outono
Nos pólos terrestres, como o Equador Celeste coincide com o horizonte, o Sol descreverá o próprio horizonte no sentido anti-horário para um observador em pé no pólo sul da Terra (Fig.5) e no sentido horário para um observador no pólo norte.
Fig. 5 – Trajetória diurna do Sol no pólo terrestre sul.
Fig. 6 – Sombra projetada por uma haste ao meio-dia.

Sombra projetada ao meio-dia na data do Equinócio
Uma haste vertical (Fig.6) de comprimento L, fincada no chão, projetará ao meio-dia, na data do equinócio, em um local de latitude , uma sombra, no solo, de comprimento S dado por:

 S = L . tan 

Esse é o comprimento mínimo da sombra da haste durante o dia. Nas localidades situadas no equador terrestre, na passagem meridiana do Sol (ao meio-dia) não há sombra, pelo fato do Sol encontrar-se a pino.
………
Estes são os cálculos mais próximos tendo como referência nenhuma mudança do eixo da Terra….