Ervas, plantas e magia

Raízes e Ervas Mágicas

(usar para uso externo somente)

 

Amaranto – para consertar um coração quebrado

Assa Fétida – para proteção contra doença

Manjericão Santo – para proteger o corpo e a família

Manjericão Doce – para afastar a má sorte e atrair o amor

Louro – para sabedoria, proteção e poderes psíquicos

Noz de Betel – para aumentar os poderes mentais e espirituais

Erva Impigem – para afastar os maus espíritos

Gatária – para tornar uma pessoa tímida em ousada e poderosa

Cedro – para purificação e cura

Camomila – para tornar os outros mais suscetíveis a seus pensamentos e ideias e mais dispostos a agradá-lo

Canela – para espiritualidade, cura e purificação

Cravo – para purifiação, proteção e dinheiro

Trevo – para dinheiro, amor e boa sorte (especialmente o de 4 folhas)

Cinco em Rama – para afastar o mal com as mãos, proteção contra o mal físico e a violência

Alho – para cura e proteção (especialmente contra vampiros)

Raíz de Ginseng – usada pelos chineses como a proteção mais forte contra todos os tipos de males

Gengibre – para dinheiro, poder e sucesso

Heléboro Verde – purga as premissas da más influências

Helping Hands – para ajudar em seus planos e trazer a ajuda de que você precisa em qualquer situação

Jalapa – para afastar pensamentos confusos e trazer o sucesso nos negócios e no amor, atrai dinheiro

Perpétua – para uma vida longa, feliz e pacífica

Erva Amorosa – banhe-se no chá das ervas e tenha surpresas agradáveis o dia inteiro

Galangal – para boa sorte e sucesso em todos os assuntos pessoais

Raíz de Mandrágora – para obter sobre os outros

Manjerona – para afastar as más influências, para proteção, amor e cura

Feijões Mojo – para boa sorte

Artemísia – ponha no travesseiro para vislumbrar seu futuro em seus sonhos. Faça travesseiros de sonho com artemísia, bálsamo, manjerona, alecrim e lavanda

Verbasco – para despertar a gentileza nos outros

Sementes de Mostarda – para a fé

Erva Moura – para ver fantasmas

Raíz de Íris – a raíz de Íris em pó desperta o amor entre duas pessoas se salpicado nas roupas pela pessoa que deseja o amor, também chamada de “Raíz da Rainha Elizabeth” e “Raíz da Adivinhação”, foi o pêndulo psíquico original. Amasse um fio branco com 33cm na raíz e faça perguntas do tipo: Sim X Não, segurando a ponta do fio, a raíz vai balançar para frente e para trás para “Sim” e permanecerá imóvel para “Não”.

Alecrim – para melhorar a memória

Arruda – para não ser enganado no amor

Sálvia – para proteção e sabedoria

Sândalo – para ver a verdadeira luz em todas as coisas e não ser enganado pelos outros

Raíz de Aipo – esfregue numa pessoa que tem sido uma má influência e ela perderá todo o poder sobre você

Raíz de Selo de Salomão – para obter sabedoria

Anis Estrelado – carregue consigo como um patuá especial de boa sorte

Erva de São João – a raíz é boa para dietas, mastigue-a para enganar a sensação de fome (tem gosto de chocolate), pendure a planta sobre a cama para sonhar com seu futuro parceiro

Tomilho – para a cura e para aumentar os poderes psíquicos

Chorão – para o amor e a adivinhação

Feijão dos Desejos – para tornar seus desejos realidade

Flores usadas em Óleos e Essências

Alecrim – reviver sonhos

Amêndoa – esperança

Bago de Loureiro – purificação

Bálsamo de Gileade – cura, auxílio

Coentro – mérito oculto

Flor de Laranjeira – generosidade

Flor de Macieira – preferência

Flor de Maracujá – suscetibilidade

Gardênia – êxtase

Heliotrópio – devoção

Hissopo – pureza, purificação

Jasmim – graça, elegância

Lilás – juventude, novo amor

Limão – discrição

Lírio do Vale – retorno da felicidade

Lírio – pureza, modéstia

Madressilva – laço amoroso

Magnólia – inigualável, orgulhoso

Mandrágora – poder sobre os outros

Menta – virtude

Mimosa – sensibilidade

Mirra – purificação, limpeza

Mirto – amor

Morango – excelência, perfeição

Oliveira – paz

Patchuli – atração

Pinho – eternidade

Rosa – beleza

Verbena – sensatez – Em algumas lendas ela é usada contra vampiros, misturadas em algum chá para proteção, deixando-a por perto ou até mesmo adicionando-a em óleos para banho. Acha que Verbena está ligada apenas a vampiros? Enganou-se. Algumas lendas dão conta do uso dela para bloquear os poderes das bruxas. E tem mais! Na Roma antiga acreditava-se que Verbena era uma erva sagrada, e era usada para esterilizar casas e templos. Os Druidas Celtas também tinham Verbena como uma planta sagrada. Era chamada de “lágrima de Isis” no Egito antigo, e era conhecida também na Grécia antiga. E não acaba por aí! Alguns acreditam que a Verbena foi usada para estancar o sangramento das feridas de Jesus quando ele foi tirado da cruz.

Violeta – amor, modéstia, mérito

 

Combinações e Incensos

Depois de preparados, os óleos e essências, podem ser combinados para fins particulares, como fazer uma poção do amor, sorte, sucesso, proteção, prosperidade, purificação e todo o resto. Essas fórmulas combinadas podem ser compradas em herbanários e lojas de magia, mas você também pode fazer as suas de acordo com as correspondências listadas aqui no site. Além disso, almíscar e algália (retiradas de glândulas especiais de veados e doninhas macho) são ingredientes comuns nessas formulações, assim como em perfumes, e eles atraem o amor. Ao consagrar ou ungir, use uma combinação que expresse as suas intenções específicas ou que seja consagrada a um planeta, divindade, elemento ou signo específico. Eis alguns exemplos de formas de combinação simples:

 

ÓLEO DE UNÇÃO RITUAL

– 1 parte de menta

– 1 parte de verbena

 

ÓLEO DE CONSAGRAÇÃO RITUAL

– 1 parte de olíbano

– 1 parte de mirra

 

PARA VER AS COISAS HONESTAMENTE

– 1 parte de hissopo

– 2 partes de lírio

– 2 partes de mirra

 

Para fazer incensos para diversos rituais, triture todas as ervas e raízes apropriadas (um pilão é um instrumento essencial para qualquer herbalista). Acrescente óleo essencial (ou óleo de oliva) suficiente para fazer a mistura se tornar uma pasta. Você também pode acrescentar um pouco de resina para ajudar a dar liga e a queimar. Para incensos planetários, acrescente pó ou raspas dos metais associados ao incenso. Um pouco de salitre (o ingrediente dos blocos de carvão) também ajuda na queima e forma pequenas fagulhas – boas para Marte. Há também diversas resinas (principalmente seivas de árvore) comumente usadas para incensos e até acrescentadas à fórmula de óleos:

 

ÂMBAR – proteção, cura, riqueza

ÂMBAR GRIS – atração, controlar os outros

DRAGOEIRO – para ativar um feitiço

OLÍBANO – para consagrar uma área, pessoa, substância ou objeto

 

O melhor incenso para usar ao trabalhar com qualquer instrumento de adivinhação tem natureza lunar ou psíquica. Esse tipo de mistura pode ser adquirido ou criado por você e deve ser queimado em tabletes de carvão. Eis algumas receitas excelentes para um incenso mágico de boa qualidade para usar no trabalho psíquico:

 

INCENSO LUNAR

– uma base de pó de sândalo branco, raíz de íris e mirra (em partes iguais)

– óleo de jasmim e flores de jasmim

– óleo de lótus e âmbar gris (sintético)

– 1 pitada de cânfora refinada

– semente e papoula e de abóbora

 

INCENSO DE ADIVINHAÇÃO

– uma base de goma mástique, mirra, pó de sândalo e olíbano

– artemísia e losna

– pétalas de rosa, botões de lavanda

– cardamomo verde e anis estrelado

– folhas de louro

– óleo de mimosa e lótus

A Mandragora

A Mandrágora é uma planta da família das ”plantas com flor”. Seus frutos são semelhantes a uma pequena maçã e exalam um odor forte e fétido. É considerada uma planta mágica desde a antiguidade e o uso de sua raiz é encontrado inclusive, em textos do antigo testamento (no livro do Gênesis e no Cântico dos Cânticos). Desde tempos remotos usa-se a mandrágora para os mais diversos fins e são-lhe atribuídas propriedades tóxicas, medicinais, afrodisíacas, alucinógenas, analgésicas e narcóticas.

Muito procurada principalmente para uso em rituais e poções mágicas, é altamente tóxica. É também bastante rara. Há dois gêneros de plantas de nome “mandrágora” que são bem distintas e de famílias diferentes. Uma é parente do tomate e é considerada a verdadeira.Trata-se da Mandragora officinalis. Possui flores roxas e suas folhas se assemelham às da tansagem. A outra é parente da abóbora e possui as folhas em forma de palma, tem flores brancas e pequenos frutos vermelhos. É também conhecida como “Nabo-do-diabo”.
A Mandrágora é umas das plantas mais conhecidas por seu uso na magia. Por conta de seu curioso formato e das lendas que a envolvem, a planta já foi retratada na literatura e até no cinema. Shakespeare, na sua clássica obra “Romeu e Julieta”, fez a seguinte referência a mandrágora: “Gritavam como mandrágoras arrancadas da terra que levavam à loucura os mortais que as ouvissem”.Segundo uma lenda medieval a raiz da mandrágora era como um pequeno homem dormindo dentro da terra e, ao ser retirado de seu descanso, dava um grito tão agudo que era capaz de deixar surdo, enlouquecer e até mesmo levar alguns a morte. Com base nessa crença, foram sendo criadas várias técnicas para se retirar a mandrágora do solo sem sofrer com o grito da planta. Alguns tapavam os ouvidos, afofavam a terra ao redor da mandrágora, amarravam a planta ao pescoço de um cachorro e faziam com que o mesmo corresse, arrancando a raiz do solo, durante a madrugada.Outro fato curioso em relação as mandrágoras é que elas podem ser classificadas como “Macho” e “Fêmea”. De acordo com o antigo naturalista romano Plínio, se diz que uma mandrágora é macho quando as folhas são largas, a raiz é preta por fora e branca por dentro. A raiz da fêmea é toda preta e as raízes são bifurcadas.

Mantida em determinadas condições de calor e umidade, a raiz grossa e marrom da mandrágora pode liberar alguns gases e vapores, que às vezes eram chamados de “fogo fátuo”, pois acreditava-se que era uma espécie de espírito que saía da planta. Na Idade Média as pessoas afirmavam que as mandrágoras cresciam mais rápido quando eram plantadas sob a forca de assassinos executados.

No folclore anglo-saxão há registros de que a mandrágora era utilizada para expulsar demônios e também era desidratada por alguns para ser usada como amuleto de proteção. Na Alemanha era costume entre os camponeses talhar e cuidar muito bem das raízes de mandrágora, para usá-las em magias e adivinhações. Existia uma crença de que as raízes talhadas com formas humanas responderiam aos questionamentos de seus donos, como se a planta ganhasse vida própria.

Até hoje a mandrágora é usada por magistas, principalmente em magias de proteção, aumento do poder pessoal, coragem e amor. É um poderoso concentrador fluídico e para carregá-la com seu poder pessoal, você pode deixá-la durante três dias embaixo da sua cama, no período da lua cheia. Por ser uma planta européia, é bem complicado conseguir mandrágora no Brasil, mas existem algumas plantas que podem servir como substitutas mágicas, é o caso do gengibre, do ginseng e do melão-de-são-caetano.