Leis Herméticas – Leis ou Princípios Existenciais ou Leis que regem o Universo

Leis herméticas

Leis herméticas é um conjunto de princípios atribuídos a Hermes Trismegistus que formam uma filosofia que ficou conhecida como Hermetismo.

As sete leis herméticas

As sete principais leis herméticas se baseiam nos princípios incluídos no livro Caibalion que reúne os ensinamentos básicos da Lei que rege todas as coisas manifestadas. A palavra Caibalion, na língua hebraica significa tradição ou preceito manifestado por um ente de cima. Esta palavra tem a mesma raiz da palavra Kabbalah, que em hebraico, significa recepção.

Lei do Mentalismo

“O Todo é Mente; o Universo é mental.”

O universo funciona como um grande pensamento divino. É a mente de um Ser Superior que ‘pensa’ e assim é tudo que existe. É o todo. Toda a criação principiou como uma ideia da mente divina que continuaria a viver, a mover-se e a ter seu ser na divina consciência.

A matéria é como os neurônios de uma grande mente, um universo consciente e que ‘pensa’. Todo o conhecimento flui e reflui de nossa mente, já que estamos ligados a uma mente divina que contém todo o conhecimento.

Lei da Correspondência

“O que está em cima é como o que está embaixo. E o que está embaixo é como o que está em cima”

A perspectiva muda de acordo com o referencial. A perspectiva da Terra normalmente nos impede de enxergar outros domínios acima e abaixo de nós. A nossa atenção está tão concentrada no microcosmo que não nos percebemos o imenso macrocosmo à nossa volta.

O principio de correspondência diz-nos que o que é verdadeiro no macrocosmo é também verdadeiro no microcosmo e vice-versa. Portanto podemos aprender as grandes verdades do cosmo observando como elas se manifestam em nossas próprias vidas.

Lei da Vibração

“Nada está parado, tudo se move, tudo vibra”

No universo todo movimento é vibratório. O todo se manifesta por esse princípio. Todas as coisas se movimentam e vibram com seu próprio regime de vibração. Nada está em repouso. Das galáxias às partículas sub-atômicas, tudo é movimento.

Todos os objetos materiais são feitos de átomos e a enorme variedade de estruturas moleculares não é rígida ou imóvel, mas oscila de acordo com as temperaturas e com harmonia. A matéria não é passiva ou inerte, como nos pode parecer a nível material, mas cheia de movimento.

Lei da Polaridade

“Tudo é duplo, tudo tem dois pólos, tudo tem o seu oposto. O igual e o desigual são a mesma coisa. Os extremos se tocam. Todas as verdades são meias-verdades. Todos os paradoxos podem ser reconciliados “

A polaridade revela a dualidade, os opostos representando a chave de poder no sistema hermético. Mais do que isso, os opostos são apenas extremos da mesma coisa. Tudo se torna idêntico em natureza. O pólo positivo + e o negativo  da corrente elétrica são uma mera convenção.

O claro e o escuro também são manifestações da luz. A escala musical do som, o duro versus o flexível, o doce versus o salgado. Amor e o ódio são simplesmente manifestações de uma mesma coisa, diferentes graus de um sentimento.

Lei do Ritmo

“Tudo tem fluxo e refluxo, tudo tem suas marés, tudo sobe e desce, o ritmo é a compensação”

Pode se dizer que o princípio é manifestado pela criação e pela destruição. É o ritmo da ascensão e da queda, da conversão energia cinética para potencial e da potencial para cinética. Os opostos se movem em círculos.

É a expansão até chegar o ponto máximo, e depois que atingir sua maior força, se torna massa inerte, recomeçando novamente um novo ciclo, dessa vez no sentido inverso. A lei do ritmo assegura que cada ciclo busque sua complementação.

Lei do Gênero

“O Gênero está em tudo: tudo tem seus princípios Masculino e Feminino, o gênero se manifesta em todos os planos da criação”

Os princípios de atração e repulsão não existem por si só, mas somente um dependendo do outro. Tudo tem um componente masculino e um feminino independente do gênero físico. Nada é 100% masculino ou feminino, mas sim um balanceamento desses gêneros.

Existe uma energia receptiva feminina e uma energia projetiva masculina, a que os chineses chamavam de yin yang. Nenhum dos dois pólos é capaz de criar sem o outro. É a manifestação do desejo materno com o desejo paterno.

Lei de Causa e Efeito

“Toda causa tem seu efeito, todo o efeito tem sua causa, existem muitos planos de causalidade mas nenhum escapa à Lei”

Nada acontece por acaso, pois não existe o acaso, já que acaso é simplesmente um termo dado a um fenômeno existente e do qual não conhecemos e a origem, ou seja, não reconhecemos nele a Lei à qual se aplica.

Esse princípio é um dos mais polêmicos, pois também implica o fato de sermos responsáveis por todos os nossos atos. No entanto, esse princípio é aceito por todas as filosofias de pensamento, desde a antiguidade. Também é conhecido como karma.

Da Energia Latente no Ser Humano

Ser Humano (Ser) é Energia. Essa Energia é força de maior intensidade, de menor intensidade e de zero intensidade.

O Ser ativo, participativo, solidário, ético, optativo e decisivo é um Ser de Energia de intensidade alta, grande, maior.

Um Ser inativo, egoísta, passivo, corruptor, inoptativo e indeciso é um Ser de Energia de intensidade baixa, rasa, sofrível.

Um Ser doente, em fase terminal, é um Ser de intensidade de Energia igual a zero.

Um Ser que faz o mal, vive para o mal, pratica o mal, venera o mal, participa para o mal, tem o pensamento voltado para o mal, ludibria a vontade alheia em proveito próprio, tem uma Energia de intensidade sofrível.

Um Ser que é benevolente, que pratica boas ações, que venera o bem, faz o bem sem olhar a quem, ajuda ao próximo, tem o pensamento voltado para a prática do bem, é altruísta, provoca a paz entre os homens, tem uma Energia de intensidade maior.

Um esquema para melhor entender esse homem de Energia sofrível: A Elipse é aberta em ordenadas e abscissas negativas.

Um esquema para melhor entender esse homem de Energia maior: A Elipse é fechada em ordenadas e abscissas positivas.

Um esquema para melhor entender esse homem de Energia zero: A Elipse tem abscissas e ordenadas iguais.

By Wikipédia

………………

A FILOSOFIA HERMÉTICA

“Os lábios da sabedoria estão fechados, exceto os ouvidos
do entendimento” – The Kybalion.

Do antigo Egito vieram os ensinos esotéricos e ocultistas fundamentais que influenciaram tão fortemente as filosofias de todas as raças, nações e povos, há vários mil anos. O Egito, o lar das Pirâmides e a Esfinge, era o local de nascimento da Sabedoria Oculta e dos Ensinamentos Místicos. De sua Doutrina Secreta, todas as nações tomaram emprestado. A Índia, a Pérsia, a Caldéia, a Medea, a China, o Japão, a Assíria, a Grécia antiga e Roma e outros países antigos participaram liberalmente da festa do conhecimento que os Hierofantes e Mestres da Terra de Isis proporcionaram tão livremente para aqueles que vieram preparados para participar da grande loja de Sabedoria Mística e Oculta que os engenheiros daquela terra antiga se reuniram.

No antigo Egito moravam os grandes Adeptos e Mestres que nunca foram superados e que raramente foram iguais, durante os séculos que tomaram seu vôo processional desde os dias do Grande Hermes. No Egito foi localizada a Grande Loja de Lodges of the Mystics. Nas portas de seus Templos entraram os Neófitos que, depois, Hierófitas, Adeptos e Mestres, viajaram para os quatro cantos da terra, levando consigo o precioso conhecimento que estavam preparados, ansiosos e dispostos a transmitir a quem estavam prontos para receber o mesmo. Todos os alunos do Oculto reconhecem a dívida que devem a esses veneráveis ​​mestres dessa antiga terra.

Mas, entre esses grandes mestres do antigo Egito, uma vez morava um dos quais os mestres saudavam como “O Mestre dos Mestres”. Este homem, se “homem”, ele era, morava no Egito nos primeiros dias. Ele era conhecido como Hermes Trismegistus. Ele era o pai da Sabedoria Oculta; o fundador da astrologia; o descobridor da Alquimia. Os detalhes de sua história de vida estão perdidos para a história, devido ao lapso dos anos, embora vários países antigos tenham discutido um com o outro em suas reivindicações sobre a honra de ter fornecido seu local de nascimento – e isso há milhares de anos. A data da sua permanência no Egito, na medida em que sua última encarnação neste planeta, não é conhecida, mas foi consertada nos primeiros dias das dinastias mais antigas do Egito – muito antes dos dias de Moisés. As melhores autoridades o consideram contemporâneo de Abraão,

À medida que os anos passaram após a passagem deste plano de vida (a tradição registrando que ele viveu trezentos anos na carne), os egípcios deificaram Hermes e fizeram dele um de seus deuses, sob o nome de Thoth. Anos depois, as pessoas da Grécia antiga também o tornaram um de seus muitos deuses – chamando-o de “Hermes, o deus da Sabedoria”. Os egípcios reverenciaram sua memória por muitos séculos – sim, dezenas de séculos – chamando-o de “o escriba dos deuses”, e atribuindo-lhe, distintamente, seu título antigo, “Trismegisto”, que significa “o três vezes maior”; “o grande-ótimo”; “o maior-excelente”; etc. Em todas as terras antigas, o nome de Hermes Trismegisto foi reverenciado, o nome sendo sinônimo de “Fount of Wisdom”.

Até hoje, usamos o termo “hermético” no sentido de “segredo”; “selado para que nada possa escapar”; etc., e isso pelo fato de que os seguidores de Hermes sempre observaram o princípio do sigilo em seus ensinamentos. Eles não acreditavam em “lançar pérolas antes de suínos”, mas sim para o ensino de “leite para bebês”; “Carne para homens fortes”, ambas as máximas são familiares aos leitores das escrituras cristãs, mas ambas as quais foram usadas pelos egípcios há séculos antes da era cristã.

E esta política de disseminação cuidadosa da verdade sempre caracterizou o Hermetismo, até o presente. Os Ensinamentos Herméticos devem ser encontrados em todas as terras, entre todas as religiões, mas nunca identificados com nenhum país particular, nem com nenhuma seita religiosa particular. Isso por causa da advertência dos antigos professores contra permitir que a Doutrina Secreta se cristalize em um credo. A sabedoria desse cuidado é evidente para todos os alunos da história. O ocultismo antigo da Índia e da Pérsia degenerou, e foi largamente perdido, devido ao fato de que os professores se tornaram padres e teologia tão mista com a filosofia, resultando que o ocultismo da Índia e da Pérsia foi gradualmente perdido em meio à massa de superstição religiosa, cultos, credos e “deuses”. Assim foi com a Grécia antiga e Roma.

Mas sempre havia algumas almas fiéis que mantinham a Flame viva, cuidando cuidadosamente e não deixando sua luz se extinguir. E graças a esses corações firmes e mentes destemidas, temos a verdade ainda conosco. Mas não é encontrado nos livros, em grande medida. Foi passado de Mestre para Estudante; de iniciado a hierofante; de lábio a orelha. Quando foi escrito, o significado foi velado em termos de alquimia e astrologia, de modo que apenas aqueles que possuíam a chave pudessem lê-la corretamente. Isto foi feito necessário para evitar as perseguições dos teólogos da Idade Média, que lutaram contra a Doutrina Secreta com fogo e espada; estaca, gibbet e cruz. Mesmo até hoje, serão encontrados apenas alguns livros confiáveis ​​sobre a Filosofia Hermética, embora existam inúmeras referências a ele em muitos livros escritos em várias fases do ocultismo. E, no entanto, a Filosofia Hermética é a única Chave Mestre que abrirá todas as portas das Ensinanças Ocultistas!

Nos primeiros dias, havia uma compilação de certas Doutrinas Herméticas Básicas, transmitida de professor para aluno, conhecida como “A KYBALION”, o significado exato e o significado do termo que se perdeu há vários séculos. Este ensino, no entanto, é conhecido por muitos a quem desceu, de boca em boca, de vez em quando ao longo dos séculos. Seus preceitos nunca foram escritos, ou impressos, até onde sabemos. Era apenas uma coleção de máximas, axiomas e preceitos, que não eram compreensíveis para os estrangeiros, mas que eram facilmente entendidos pelos alunos, depois que os axiomas, máximas e preceitos foram explicados e exemplificados pelos Iniciados Herméticos aos Neófitos. Esses ensinamentos constituíram realmente os princípios básicos de “A arte da alquimia hermética”, que, ao contrário da crença geral, tratou no domínio das Forças Mentais, em vez de Elementos Material – a Transmutação de um tipo de Vibrações Mentais para os outros, em vez da mudança de um tipo de metal para outro. As lendas da “Pedra Filosofal”, que transformaria metal-base em Ouro, era uma alegoria relativa à Filosofia Hermética, prontamente compreendida por todos os estudantes do hermetismo verdadeiro.

Neste pequeno livro, do qual esta é a Primeira Lição, convidamos nossos alunos a examinarem os Ensaios Herméticos, conforme estabelecido em THE KYBALION, e, como explicamos por nós mesmos, estudantes humildes dos Ensinamentos, que, com o título de Iniciados, ainda são alunos aos pés de HERMES, o Mestre. Nós aqui damos-lhe muitas das máximas, axiomas e preceitos de THE KYBALION, acompanhados de explicações e ilustrações que consideramos capazes de tornar os ensinamentos mais facilmente compreendidos pelo aluno moderno, particularmente porque o texto original é propositalmente velado em termos obscuros.

As máximas, axiomas e preceitos originais de THE KYBALION são impressos aqui, em itálico, o crédito apropriado é dado. Nosso próprio trabalho é impresso de maneira regular, no corpo do trabalho. Nós confiamos que muitos estudantes a quem agora oferecemos esse pequeno trabalho obterão tanto benefício do estudo de suas páginas quanto de muitos que já passaram antes, seguindo o mesmo Caminho ao Domínio ao longo dos séculos que se passaram desde os tempos de HERMES TRISMEGISTUS – o Mestre dos Mestres – o Grande-Grande. Nas palavras de “THE KYBALION”:

“Onde caem os passos do Mestre, as orelhas dos
prontos para o Ensinamento abrem de largura”. – O Kybalion.

“Quando os ouvidos do aluno estão prontos para ouvir, então vem
os lábios para preenchê-los com sabedoria.” – O Kybalion.

De modo que de acordo com os Ensinamentos, a passagem deste livro para aqueles que estão prontos para a instrução atrairá a atenção de tais que estão preparados para receber o Ensino. E, da mesma forma, quando o aluno está pronto para receber a verdade, então esse pequeno livro virá para ele ou para ela. Tal é The Law. O Princípio Hermético de Causa e Efeito, em seu aspecto da Lei da Atração, trará lábios e orelha juntos – aluno e livro em companhia. Então, seja!

OS SETE PRINCÍPIOS HERMÉTICOS

“Os Princípios da Verdade são Sete, aquele que conhece estes,
compreensivelmente, possui a Chave Mágica antes do
toque de todas as Portas do Templo voarem abertas.” – O Kybalion.

Os Sete Princípios Herméticos, sobre os quais se baseia toda a Filosofia Hermética, são os seguintes:

1. O Princípio do Mentalismo.
2. O Princípio da Correspondência.
3. O Princípio da Vibração.
4. O Princípio da Polaridade.
5. O Princípio do Ritmo.
6. O Princípio da Causa e do Efeito.
7. O Princípio do Género.

Estes sete princípios serão discutidos e explicados à medida que avançarmos com essas lições. Uma breve explicação de cada um, no entanto, também pode ser dada neste momento.

1. O Princípio do Mentalismo

“O TODO É MENTE, o Universo é Mental” – The Kybalion.

Este Princípio encarna a verdade de que “Tudo é Mente”. Explica que THE ALL (que é a Realidade Substancial subjacente a todas as manifestações e aparências exteriores que conhecemos nos termos de “The Material Universe”, “Phenomena of Life”, “Matter”, “Energy” e, em suma, , tudo o que é aparente para os nossos sentidos materiais) é o ESPÍRITO que, por si só, é DESCONHECIDO e infalível, mas que pode ser considerado e considerado como UNIDADE UNIVERSAL, INFINITA, VIVA. Também explica que todo o mundo ou universo fenomenal é simplesmente uma Criação Mental de TODOS, sujeito às Leis das Coisas Criadas, e que o universo, como um todo, e em suas partes ou unidades, tem sua existência na Mente de O TODO, em que Mente nós “vivemos e nos movemos e temos nosso ser”. Este princípio, ao estabelecer a Natureza Mental do Universo, explica facilmente todos os variados fenômenos mentais e psíquicos que ocupam uma grande parte da atenção do público e que, sem essa explicação, não são compreensíveis e desafiam o tratamento científico. A compreensão deste grande Princípio Hermético do Mentalismo permite ao indivíduo apreender facilmente as leis do Universo Mental e aplicar o mesmo ao seu bem-estar e progresso. O Estudante Hermético está habilitado a aplicar inteligentemente as grandes Leis Mentais, em vez de usá-las de forma aleatória. Com a chave do mestre em sua posse, o aluno pode desbloquear as muitas portas do templo mental e psíquico do conhecimento e entrar no mesmo de forma livre e inteligente. Este Princípio explica a verdadeira natureza de “Energia”, “Poder” e “Matéria” e por que e como tudo isso está subordinado ao domínio da mente. Um dos antigos Mestres Herméticos escreveu, há longas idades: “Aquele que apreende a verdade da Natureza Mental do Universo está bem avançado no Caminho da Maestria”. E essas palavras são tão verdadeiras hoje como no momento em que foram escritas pela primeira vez. Sem essa Chave Mestre, o domínio é impossível, e o aluno bate em vão nas muitas portas do Templo.

2. O Princípio da Correspondência

“Como acima, então abaixo, como abaixo, então acima.” – O Kybalion.

Este Princípio encarna a verdade de que há sempre uma Correspondência entre as leis e os fenômenos dos vários planos do Ser e da Vida. O antigo axioma hermético correu com estas palavras: “Como acima, assim abaixo, como abaixo, então acima”. E o entendimento deste Princípio dá a um o meio de resolver muitos um paradoxo sombrio e um segredo escondido da Natureza. Há planos além do nosso conhecimento, mas quando aplicamos o Princípio da Correspondência a eles, podemos entender muito o que de outra forma seria incognoscível para nós. Este Princípio é de aplicação e manifestação universal, nos vários planos do universo material, mental e espiritual – é uma Lei Universal. Os Hermetistas antigos consideraram este Princípio como um dos instrumentos mentais mais importantes pelos quais o homem pôde evitar os obstáculos que se esconderam de ver o Desconhecido. Seu uso até mesmo afastou o Véu de Isis na medida em que um vislumbre do rosto da deusa poderia ser pego. Assim como um conhecimento dos Princípios da Geometria permite ao homem medir soles distantes e seus movimentos, enquanto está sentado em seu observatório, então um conhecimento do Princípio da Correspondência permite ao Homem raciocinar de forma inteligente do Conhecido para o Desconhecido. Estudando a mônada, ele entende o arcanjo.

3. O Princípio da Vibração

“Nada repousa, tudo se move, tudo vibra”. – O
Kybalion.

Este Princípio encarna a verdade de que “tudo está em movimento”; “tudo vibra”; “Nada está em repouso”; fatos que a Ciência Moderna aprova e que cada nova descoberta científica tende a verificar. E, no entanto, este Princípio hermético foi enunciado há milhares de anos, pelos mestres do antigo Egito. Este Princípio explica que as diferenças entre diferentes manifestações da Matéria, da Energia, da Mente e até do Espírito, resultam em grande parte das taxas variadas de Vibração. De THE ALL, que é Pure Spirit, até a forma mais grosseira da Matéria, tudo está em vibração – quanto maior a vibração, maior a posição na escala. A vibração do Espírito está em uma taxa tão infinita de intensidade e rapidez que está praticamente em repouso – assim como uma roda em movimento rápido parece estar imóvel. E no outro extremo da escala, existem formas grosseiras de matéria cujas vibrações são tão baixas que parecem em repouso. Entre esses pólos, existem milhões e milhões de graus variados de vibração. Do corpúsculo e do elétron, átomo e molécula, para mundos e universos, tudo está em movimento vibratório. Isso também é verdadeiro nos planos de energia e força (que são apenas diferentes graus de vibração); e também nos planos mentais (cujos estados dependem das vibrações); e até mesmo para os planos espirituais. A compreensão deste Princípio, com as fórmulas apropriadas, permite aos estudantes herméticos controlar suas próprias vibrações mentais, bem como as de outros. Os Mestres também aplicam este Princípio à conquista dos fenômenos naturais, de várias maneiras. “Aquele que entende o Princípio da Vibração, apreendeu o cetro do poder,

4. O Princípio da Polaridade

“Tudo é duplo, tudo tem pólos, tudo tem o seu
par de opostos, como e ao contrário são os mesmos, os opostos são
idênticos na natureza, mas diferentes em grau, os extremos se encontram,
todas as verdades são apenas meias verdades, todos os paradoxos podem ser
reconciliados . “- O Kybalion.

Este Princípio incorpora a verdade de que “tudo é dual”; “tudo tem dois pólos”; “tudo tem seu par de opostos”, todos os quais eram velhos axiomas herméticos. Isso explica os antigos paradoxos, que perplexaram tantos, que foram declarados da seguinte maneira: “A tese e a antítese são de natureza idêntica, mas diferentes em grau”; “opostos são os mesmos, diferindo apenas em grau”; “os pares de opostos podem ser reconciliados”; “Os extremos se encontram”; “tudo é e não é, ao mesmo tempo”; “todas as verdades são apenas meias verdades”; “toda verdade é meio falsa”; “há dois lados para tudo”, etc., etc., etc. Ele explica que em tudo há dois pólos, ou aspectos opostos, e que “opostos” são realmente apenas os dois extremos da mesma coisa, com muitos graus variados entre eles. Para ilustrar: calor e frio, embora os “opostos” sejam realmente o mesmo, as diferenças consistindo apenas em graus da mesma coisa. Olhe para o seu termómetro e veja se você pode descobrir onde o “calor” termina e “frio” começa! Não existe tal coisa como “calor absoluto” ou “frio absoluto” – os dois termos “calor” e “frio” simplesmente indicam graus variáveis ​​da mesma coisa, e essa “mesma coisa” que se manifesta como “calor” e ” frio “é apenas uma forma, variedade e taxa de vibração. Então, “calor” e “frio” são simplesmente os “dois pólos” daquilo que chamamos de “Calor” – e os fenômenos que o acompanham são manifestações do Princípio da Polaridade. O mesmo Princípio se manifesta no caso de “Luz e Escuridão”, que são a mesma coisa, a diferença consistindo em vários graus entre os dois pólos dos fenômenos. Onde a “escuridão” sai e a “luz” começa? Qual a diferença entre “Grande e Pequeno”? Entre “Hard and Soft”? Entre “preto e branco”? Entre “Sharp and Dull”? Entre “Ruído e Quiet”? Entre “Alto e baixo”? Entre “Positivo e Negativo”? O Princípio da Polaridade explica esses paradoxos, e nenhum outro Princípio pode substituí-lo. O mesmo Princípio opera no Plano Mental. Vamos tomar um exemplo radical e extremo – o de “Amor e Ódio”, dois estados mentais aparentemente totalmente diferentes. E, no entanto, há graus de ódio e graus de amor, e um ponto intermediário no qual usamos os termos “Like or Dislike”, que se somam um ao outro tão gradualmente que às vezes estamos perdendo para saber se nós “gostamos” ou “antipatia” ou “não”. E todos são simplesmente graus da mesma coisa, como você verá, se você quiser, mas pensar um momento. E, mais do que isso (e considerado de maior importância pelos hermetistas), é possível mudar as vibrações do ódio para as vibrações do amor, na própria mente e nas mentes dos outros. Muitos de vocês, que leram essas linhas, tiveram experiências pessoais da transição involuntária rápida do Amor para o Ódio, e o inverso, em seu próprio caso e em outros. E, portanto, você perceberá a possibilidade de isso ser realizado pelo uso da Vontade, por meio das fórmulas herméticas. “Bom e Mal” são apenas os pólos do mesmo, e o hermetista entende a arte de transmutar o Mal ao Bem, por meio de uma aplicação do Princípio da Polaridade. Em suma, a “Arte da Polarização” se torna uma fase de “Alquimia Mental” conhecida e praticada pelos antigos e modernos Mestres Herméticos. Uma compreensão do Princípio permitirá que alguém altere sua própria Polaridade, bem como a dos outros, se ele dedicar o tempo e o estudo necessários para dominar a arte. por meio de uma aplicação do Princípio da Polaridade. Em suma, a “Arte da Polarização” se torna uma fase de “Alquimia Mental” conhecida e praticada pelos antigos e modernos Mestres Herméticos. Uma compreensão do Princípio permitirá que alguém altere sua própria Polaridade, bem como a dos outros, se ele dedicar o tempo e o estudo necessários para dominar a arte. por meio de uma aplicação do Princípio da Polaridade. Em suma, a “Arte da Polarização” se torna uma fase de “Alquimia Mental” conhecida e praticada pelos antigos e modernos Mestres Herméticos. Uma compreensão do Princípio permitirá que alguém altere sua própria Polaridade, bem como a dos outros, se ele dedicar o tempo e o estudo necessários para dominar a arte.

5. O Princípio do Ritmo

“Tudo flui, para fora e para dentro, tudo tem suas marés,
todas as coisas se levantam e caem, o pendulo-balanço se manifesta em
tudo, a medida do balanço para a direita é a
medida do balanço para a esquerda, o ritmo compensa”. – – O
Kybalion.

Este Princípio encarna a verdade de que em tudo se manifesta um movimento medido de um lado para o outro; um fluxo e fluxo de entrada; um balanço para trás e para a frente; um movimento de pêndulo; um refluxo e fluxo de maré; uma maré alta e baixa maré; entre os dois pólos que existem de acordo com o Princípio da Polaridade descrito há um momento. Há sempre uma ação e uma reação; um avanço e um retiro; um aumento e um afundamento. Isto é nos assuntos do Universo, sol, mundos, homens, animais, mente, energia e matéria. Esta lei é manifesta na criação e destruição de mundos; na ascensão e na queda das nações; na vida de todas as coisas; e, finalmente, nos estados mentais do Homem (e é com este último que os Hermetistas acham a compreensão do Princípio mais importante). Os Hermetistas compreenderam este Princípio, encontrando sua aplicação universal, e também descobriram certos meios para superar seus efeitos em si mesmos pelo uso das fórmulas e métodos apropriados. Eles aplicam o Direito Mental da Neutralização. Eles não podem anular o Princípio, nem fazer cessar o seu funcionamento, mas aprenderam a escapar de seus efeitos sobre eles, até certo ponto, dependendo do Domínio do Princípio. Eles aprenderam a usá-lo, em vez de serem USADOS POR ele. Nestes e métodos semelhantes, consistem a Arte dos Hermetistas. O Master of Hermetics polariza-se no ponto em que deseja descansar, e depois neutraliza o balanço rítmico do pêndulo que tenderia a levá-lo ao outro pólo. Todos os indivíduos que alcançaram algum grau de auto-domínio fazem isso até certo ponto, mais ou menos inconscientemente, Mas o Mestre faz isto conscientemente, e pelo uso de sua Vontade, e alcança um grau de Poise e Firmeza Mental quase impossível de acreditar por parte das massas que são movidas para trás e para frente como um pêndulo. Este Princípio e o da Polaridade foram estudados de perto pelos Hermetistas, e os métodos para neutralizar, neutralizar e USANDO-os formam uma parte importante da Alquimia Mental Hermética.

6. O Princípio da Causa e do Efeito

“Toda Causa tem seu Efeito, cada Efeito tem sua Causa,
tudo acontece de acordo com a Lei, a Chance é apenas um nome
para Lei não reconhecida, há muitos planos de causalidade,
mas nada escapa à Lei.” – O Kybalion.

Este Princípio incorpora o fato de que existe uma Causa para cada Efeito; um efeito de todas as causas. Explica que: “Tudo acontece de acordo com a Lei”; que nada “apenas acontece”; que não existe tal Chance; que enquanto existem vários planos de Causas e Efeitos, quanto mais dominam os planos mais baixos, ainda não escapa completamente à Lei. Os Hermetistas compreendem a arte e os métodos de elevar-se acima do plano comum de Causas e Efeitos, até certo ponto, e ao subir mentalmente para um plano superior, eles se tornam Causadores em vez de Efeitos. As massas de pessoas são transportadas, obedientes ao meio ambiente; as vontades e desejos de outros mais fortes do que eles; hereditariedade; sugestão; e outras causas externas, movendo-os como penhores no Tabuleiro de xadrez da vida. Mas os Mestres, subindo para o plano acima, dominam seus estados de espírito, personagens, qualidades e poderes, bem como o ambiente que os rodeia, e se tornam Movers em vez de peões. Eles ajudam a JOGAR O JOGO DA VIDA, em vez de serem jogados e movidos por outras vontades e ambiente. Eles usam o Princípio em vez de serem suas ferramentas. Os Mestres obedecem à Causação dos planos superiores, mas ajudam a REGRA no seu próprio plano. Nesta afirmação, há uma riqueza de conhecimento hermético – deixe-o ler quem pode. Os Mestres obedecem à Causação dos planos superiores, mas ajudam a REGRA no seu próprio plano. Nesta afirmação, há uma riqueza de conhecimento hermético – deixe-o ler quem pode. Os Mestres obedecem à Causação dos planos superiores, mas ajudam a REGRA no seu próprio plano. Nesta afirmação, há uma riqueza de conhecimento hermético – deixe-o ler quem pode.

7. O Princípio do Género

“O gênero está em tudo, tudo tem seus
princípios masculinos e femininos, o gênero se manifesta em todos os
aviões”. – O Kybalion.

Este Princípio encarna a verdade de que há GÊNERO manifestado em tudo – os Princípios Masculinos e Femininos no trabalho. Isso é verdade não só do Plano Físico, mas dos Planos Mentes e até mesmo Espirituais. No Plano Físico, o Princípio se manifesta como SEX, nos planos mais altos é preciso formas superiores, mas o Princípio é sempre o mesmo. Nenhuma criação, física, mental ou espiritual, é possível sem este Princípio. A compreensão de suas leis lançará luz sobre muitos assuntos que perplexo as mentes dos homens. O Princípio do Género funciona sempre na direção da geração, regeneração e criação. Tudo, e cada pessoa, contém os dois Elementos ou Princípios, ou este grande Princípio, dentro dele, ele ou ela. Toda coisa masculina também tem o elemento feminino; Toda fêmea contém também o princípio masculino. Se você entender a filosofia da Criação Mental e Espiritual, Geração e Re-geração, você deve entender e estudar este Princípio hermético. Contém a solução de muitos mistérios da vida. Nós advertimos que este Princípio não faz referência às muitas teorias, ensinamentos e práticas de base, perniciosas e degradantes, que são ensinados sob títulos fantásticos e que são uma prostituição do grande princípio natural do gênero. Tais revivais básicos das antigas formas infames de fenicalismo tendem a arruinar a mente, o corpo e a alma, e a Filosofia Hermética já soou a nota de advertência contra esses ensinamentos degradados que tendem para a luxúria, licenciosidade e perversão dos princípios da Natureza. Se você procura tais ensinamentos, você deve ir em outro lugar para eles – Hermetismo não contém nada para você ao longo dessas linhas. Para o puro, todas as coisas são puras; Para a base, tudo é básico.