Por que nem todas as fêmeas menstruam? ….

Por que nem todas as fêmeas menstruam?

Entenda a diferença entre Ciclo Estral e Ciclo Menstrual.

Fonte: http://www.brasilescola.com/biologia/
Muitas pessoas não sabem ao certo quais fêmeas menstruam e pensam que esse fenômeno é comum em todas as espécies. Entretanto, essa característica é exclusiva dos primatas.

A mestruação é a liberação do endométrio e ocorre em mulheres e em alguns primatas

Apesar de ser um fenômeno comum entre as mulheres,será que todas as fêmeas menstruam? A resposta a essa pergunta é simples: NÃO, pois algumas fêmeas não sofrem com o fenômeno da menstruação. Na realidade, as mulheres são algumas das poucas que possuem essa característica, compartilhando esse fenômeno com outros primatas, tais como chimpanzés, gorilas, orangotangos e bonobos.

Muitas pessoas devem questionar-se: então como o endométrio de outros mamíferos renova-se? A resposta é simples, no ciclo das outras espécies, quando não ocorre a implantação do embrião, o endométrio é reabsorvido pelo útero e não é eliminado pela vagina como ocorre com as mulheres.

Mas e as cadelas que frequentemente vemos eliminando sangue? Apesar de muitas pessoas acreditarem que se trata da menstruação, na realidade, o processo é bem diferente. Enquanto as mulheres possuem um ciclo menstrual, animais como as cadelas apresentam um ciclo estral. Durante esse ciclo, observa-se uma fase chamada de estro ou cio, período em que ocorre a ovulação e a fêmea apresenta receptividade sexual.

O sangramento que ocorre em animais como a cadela acontece porque, no período anterior ao cio (proestro), há liberação de uma grande quantidade de hormônios, o que faz o fluxo sanguíneo aumentar. Em virtude do fluxo sanguíneo intenso, algumas vezes há o rompimento de vasos sanguíneos e a consequente eliminação de sangue. Por isso, nessa fase, uma secreção sanguinolenta é vista saindo do animal.

Então, afinal, quais fêmeas menstruam? Podemos concluir, portanto, que as únicas fêmeas que menstruam são as da espécie humana e outras primatas próximas.

Ciclo estral

Fonte: http://www.brasilescola.com/biologia/ciclo-estral.htm

O ciclo estral das cadelas é dividido em quatro fases distintas: o anestro, proestro, estro e diestro. O estro corresponde à fase conhecida popularmente como cio.

Os animais apresentam diferentes ciclos reprodutivos

O ciclo estral é diferente em cada espécie. Nas cadelas, ele pode ser dividido em quatro fases: anestro, proestro, estro e diestro. Observe a seguir a descrição de cada uma dessas fases:

– Anestro: É um período de total inatividade sexual, que dura em média 125 dias e caracteriza-se por uma involução do útero. São observados na fase de anestro níveis de estrógeno e progesterona bem baixos, mas há aumento do nível de estrógeno na fase final desse período.

– Proestro: Nessa fase a cadela apresenta uma alta concentração de estrógeno no seu corpo. Isso faz com que a vulva do animal aumente de tamanho, o cérvix fique dilatado e o endométrio espessado. Nesse momento, pode-se perceber um sangramento na vagina do animal. Mas atenção: isso não se trata de uma menstruação (Clique aqui e veja quais fêmeas menstruam).

No proestro, observa-se que os machos começam a interessar-se pelas fêmeas em razão da liberação de feromônios, entretanto, elas não permitem que ocorra a cópula. Esse período dura em média nove dias.

– Estro: É a fase de receptividade sexual, também conhecida como cio, que é caracterizada por uma diminuição nos níveis de estrógeno e um aumento nos níveis de progesterona. Verifica-se nessa fase a liberação de um corrimento de cor clara. Esse período dura em média nove dias.

Após cerca de dois ou três dias do início do estro, ocorre a ovulação. Nesta, observa-se que a cadela libera ovócitos primários, que posteriormente sofrerão meiose no oviduto.

– Diestro: É uma fase após o cio da cadela, na qual ela não é mais receptiva ao macho. Nesse período, que dura em média 75 dias, há os níveis máximos de progesterona. São verificados também um corrimento mais mucoso, diminuição do tamanho da vulva e um comportamento calmo da cadela.

A fase de diestro é muito semelhante em cadelas gestantes e não gestantes. Algumas vezes, elas apresentam uma síndrome conhecida por pseudogestação, em que todas as características fisiológicas e comportamentais assemelham-se a uma gestação. Para tratar o problema, recomendam-se inibidores de prolactina, progestágenos e andrógenos.

O primeiro ciclo das cadelas varia entre as raças. Normalmente, em raças de animais pequenos, observa-se o primeiro ciclo entre o 6º e o 10º mês de vida. Já raças de animais grandes, o ciclo pode iniciar-se no 18º ao 24º mês. A periodicidade do ciclo estral também é variável, estando relacionada com a hereditariedade, raça, gestação e idade do animal.

Menstruação (mamífero)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre
Para a menstruação em humanos, ver menstruação .

Menstruação em mamíferos é o derramamento do revestimento do útero ( endométrio ). Ela ocorre em uma base regular em idade reprodutiva sexualmente fêmeas de certas espécies de mamíferos .

Embora haja alguma discordância nas definições entre as fontes, a menstruação é geralmente considerado ser limitada a primatas . Menstruação evidente (onde há sangramento do útero através da vagina, ) é encontrada principalmente em humanos e parentes próximos evolutivos, como os chimpanzés . [1] É comum em símios , incluindo macacos do Velho Mundo e os macacos e os macacos do Novo Mundo , mas variável expressa em prossímios , sendo completamente desprovido de strepsirrhine primatas e, possivelmente, fracamente presente em társios . Fora dos primatas é conhecido apenas em morcegos eo musaranho elefante . [2] [3] [4] [5]

As fêmeas de outras espécies de mamífero placentário sofrer ciclos estrais , em que o endométrio é completamente reabsorvido pelo animal (menstruação secreta) no fim do seuciclo reprodutivo . Muitos zoólogos consideram isto como diferente de um “verdadeiro” ciclo menstrual. Animais domésticos fêmeas utilizados para a reprodução -Por exemplo cães, porcos, gado, ou Cavalos são monitorados por sinais físicos de um ciclo estral período, o que indica que o animal está pronto para a inseminação .

 

Estro e menstruação

As fêmeas da maioria das espécies de mamíferos anunciar fertilidade para homens com sinais visuais de comportamento, os feromônios , ou ambos. [6] Este período de fertilidade anunciado é conhecido como estro, “cio” ou calor. [6] Em espécies que experimentam cio, as fêmeas são geralmente só receptivas à cópula, enquanto eles estão no calor [6] (golfinhos são uma exceção). [7] No ciclo estral da maioria dos mamíferos placentários , se não ocorre a fecundação, o útero reabsorve o endométrio. Esta repartição do endométrio sem corrimento vaginal é muitas vezes chamado menstruação secreta. [8] menstruação franca (onde há fluxo sanguíneo da vagina) ocorre principalmente em seres humanos e parentes próximos evolutivos como os chimpanzés. [1] Algumas espécies, tais como doméstica cães , experimentar pequenas quantidades de sangramento vaginal , enquanto no calor; essa descarga tem uma causa fisiológica diferente de menstruação. [9]

Ovulação oculta

Alguns mamíferos não experimentam sinais evidentes, visíveis de fertilidade ( ovulação oculta ). Nos seres humanos, enquanto as mulheres podem ser ensinados a reconhecer seu próprio nível de fertilidade ( da fertilidade ), se os homens podem detectar a fertilidade em mulheres é debatida; estudos recentes têm dado resultados conflitantes. [10] [11]

Orangotangos também a falta de sinais visíveis de ovulação iminente. [12] Além disso, foi dito que o período de estro prolongado do bonobo (fêmeas em idade reprodutiva estão no cio por 75% do seu ciclo menstrual) [13] tem um efeito semelhante ao a falta de um “calor” em fêmeas humanas. [14]

Evolução

Todas as fêmeas de mamíferos placentários têm um revestimento uterino que se acumula quando o animal é fértil, mas é desmontado (menstruada) quando o animal é infértil. Alguns antropólogos têm questionado o custo energético de reconstruir o endométrio cada ciclo de fertilidade. No entanto, o antropólogo Beverly Strassmann propôs que as economias de energia de não ter que manter continuamente o revestimento uterino mais que o custo compensa a energia de ter que reconstruir o forro no próximo ciclo de fertilidade, mesmo em espécies como os seres humanos, onde a maior parte do revestimento é perdido através de sangramento (menstruação evidente) ao invés de reabsorvida (menstruação encoberta). [1] [15] No entanto, mesmo em humanos, muito do que é reabsorvido.

Muitos questionaram a evolução da menstruação evidente nos seres humanos e espécies afins, especulando sobre o que vantagem poderia haver a perda de sangue associada com o desmantelamento do endométrio ao invés de absorvê-lo, como a maioria dos mamíferos fazer.

Ciclos menstruais de animais

Entre os animais que têm ciclos menstruais, estes são freqüentemente diferente do ciclo lunar 29,53 dias; a duração média do ciclo de orangotangos e gambás é o mais próximo ao dos humanos, de 28 dias, enquanto o ciclo de chimpanzés é de 35 dias 

Ciclo estral de animais

A fêmea ovula espontaneamente e ser receptiva ao macho a ser criados (estro expresso) em intervalos definidos biologicamente regulares. A fêmea é receptiva aos machos somente enquanto experimentando estro.

Para pecuária, há uma série de vantagens a serem obtidas por encontrar métodos para induzir a ovulação em um cronograma planejado, e, assim, sincronizar o ciclo estral entre muitas fêmeas. Se os animais podem ser criados na mesma programação, que aumenta a conveniência para o proprietário de gado, uma vez que os animais jovens e vai estar no mesmo estágio de desenvolvimento. Além disso, se inseminação artificial (AI) é utilizado para a reprodução, o tempo do técnico de AI pode ser utilizado de forma mais eficiente, por meio de cruzamento várias fêmeas ao mesmo tempo. Para induzir o estro, uma variedade de técnicas foram tentadas nos últimos anos, envolvendo diferentes formas de injeção ou alimentação hormônios para o gado. Eles são caros, e têm taxas de sucesso variáveis. [18]

Duração média (dias) de ciclos de estro e estro: 

Espécies Estro Ciclo
Rato, rato 0,5 4
Hamster 1 4
Cobaia 0,5 16
Sheep 2 17
Cabra 3 20
Gado 0,5 21
Porco 2 21
Cavalo 5 21
Elefante 4 22
Canguru vermelho 3 35
Leão 9 55
Dog 7 60

 

SANGRAMENTOS RELACIONADOS COM OS CICLOS REPRODUTIVOS
ENTRE OS ANIMAIS e Humano (na mulher)
· A cadela, a vaca e a espécie humana, a mulher apresentam sangramento durante os seus ciclos  sexuais, mas são muito diferentes.
· Na cadela ocorre a Hemorragia do Proestro e deve-se a passagem de
hemácias através da parede dos vasos para a luz uterina em função da rápida
elevação do Estrogênio.
· Na vaca ocorre a Hemorragia do Meta-estro por passagem das hemácias
devido a súbita diminuição do estrogênio e aumento da Progesterona.
· Na mulher, a baixa de progesterona leva a vasoconstrição das arteríolas
espirais do endométrio acarretando necrose do tecido. Em seguida a produção
de substâncias vasodilatadoras (histamina, bradicinina e prostaciclinas e outras
prostaglandinas) determinam uma hemorragia chamada de menstruação (a descamação do endométrio , do útero)

Anexo I

Ciclo menstrual

http://www.brasilescola.com/biologia/ciclo-menstrual.htm

A ação de determinados hormônios permite que o útero se prepare para uma possível gestação
A ação de determinados hormônios permite que o útero se prepare para uma possível gestação

A cada 28 dias, aproximadamente, o organismo da mulher se prepara para uma possível fecundação, produzindo óvulos e desenvolvendo a parede do útero para receber um futuro embrião. Havendo fecundação, este se implantará e desenvolverá nesta região. Caso contrário, o endométrio descama, sendo eliminado pela vagina, tal evento é chamado de menstruação, a qual dura em média cinco dias.

O período entre o início de uma e o início da próxima menstruação é denominado ciclo menstrual, controlado, principalmente, pelos hormônios FSH e LH.

ciclo sexual menstrual – ciclo mulher

Na primeira metade do ciclo menstrual, um folículo é estimulado pelo FSH, cresce e produz estrógenos. Estes últimos inibem o FSH e LH. O folículo ovariano e o endométrio aumentam de tamanho. Aproximadamente no meio do ciclo, a hipófise é estimulada a promover a secreção de FSH e LH e, estimulado por estes, o folículo se rompe, liberando o gameta feminino (óvulo). Tal fenômeno biológico é chamado de ovulação.

Esta ocorre aproximadamente 15 dias antes da próxima menstruação e o óvulo pode ser fecundado entre 24 e 36 horas após ser liberado.

A taxa de estrogênio cai e o folículo rompido se desenvolve, estimulado pelo LH, e se transforma em corpo lúteo (ou amarelo). O corpo amarelo secreta estrógeno e progesterona, permitindo que o endométrio se torne espesso, rico em vasos e em secreções nutritivas, a fim de suprir as necessidades do embrião.

Ocorrendo a fecundação, a placenta produz o HCG, um hormônio que impede com que ocorra uma outra ovulação e evita, também, a descamação do endométrio, mantendo constante a ação do corpo lúteo.

Não ocorrendo fecundação, as altas concentrações de progesterona diminuem a secreção de FSH e LH, fazendo o corpo lúteo regredir e isso faz com que diminua a concentração de estrogênio e progesterona, provocando a menstruação.

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia

 

As fêmeas de animais menstruam?

A menstruação é um processo fisiológico que está ligado diretamente à fertilização na qual, ocorre perdade sangue, caso não haja fecundação, através da descamação do endométrio (membrana que reveste útero).

O ciclo menstrual não é exclusividade da espécie humana. Por causa de nossos ancestrais em comum, outros grandes primatas também têm que lidar com o sangramento, como por exemplo, orangotango, bonobos, gorilas e chimpanzés. Já os outros mamíferos não têm um ciclo menstrual, mas um ciclo estral, onde o hormônio estrógeno estimula as células sanguíneas a saírem dos vasos e entrarem no útero, está ligado aos períodos do cio.

Cada espécie possui suas particularidades em relação ao ciclo estral, como por exemplo, a cadela tem um sangramento que precede o cio e que é, frequentemente, chamado de menstruação. Este sangramento ocorre para preparar o útero para a gestação e chamar a atenção do macho. O líquido contém um cheiro forte, facilmente percebido pelos machos da redondeza, que ficam atentos ao momento do cio propriamente dito, que se dá após o sangramento. É apenas nesta fase que a fêmea aceita a aproximação do macho.

Corbis-42-15194909
Exceto os grandes primatas (orangotango, gorilas, chimpanzé e bonobos), todos os demais mamíferos possuem ciclo estral, que pode variar de acordo com a espécie. Foto: Reprodução/corbisimages

Já na gata, não ocorre o sangramento nem para chamar a atenção do macho, nem para preparar o útero para a chegada do embrião. Na gata, o que acontece de diferente é que sua ovulação é estimulada pelo coito. Assim sendo, não há necessidade de seu corpo estar preparado para receber o embrião se não houver o cruzamento.  Então, como as gatas fazem para chamar a atenção dos machos? Ela chama os parceiros (é comum ter mais de um) através da vocalização, usando miados característicos e bem altos.

TinkDiaper
Nos cães, é comum os donos optarem pelo uso de fraldinhas na época do cio, fase em que pode haver um ligeiro sangramento. Foto: Reprodução/smalldog

Fonte:  http://diariodebiologia.com/2014/08/as-femeas-de-animais-menstruam/